quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Projeto de garagens verticais no centro de São Paulo não sai do papel


Fonte: Metrô News

Prometidas em 2009 pelo então secretário dos Transportes Alexandre de Moraes, a construção de 64 edifícios-garagem não vingou. As obras seriam feitas pela iniciativa privada, que em troca passaria a explorar as vagas de zona azul no entorno do edifício. No entanto, na primeira licitação do projeto, lançada ainda em 2009, não houve interessados. À época, as empresas do setor alegaram que os terrenos oferecidos pela prefeitura não eram viáveis para receber as garagens.

No final do ano passado, o projeto migrou da pasta dos Transportes para a do Trabalho e Desenvolvimento Econômico. Além disso, a idéia dos edifícios-garagem foi substituída por garagens subterrâneas, modelo que já existe em frente ao hospital das Clínicas e perto do parque Trianon.

O plano, agora, é lançar uma nova licitação para encontrar empresas interessadas em investir na construção de quatro garagens subterrâneas no centro: praças Ramos de Azevedo e João Mendes, Pátio do Colégio e Mercado Municipal. No total, serão 1.720 vagas.

A meta da prefeitura é construir 70 garagens embaixo da terra. O custo médio de cada uma deve chegar a R$ 50 milhões.