sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Prefeitura anuncia rota de compras no Centro


Fonte: NewMark

Um circuito de compras integrando as regiões de comércio popular do centro de São Paulo foi anunciado ontem pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM). O projeto começará pelo Brás, onde os ambulantes da feirinha da madrugada deverão ser reacomodados em estandes em uma espécie de shopping, com três pisos e espaço para cerca de 4.000 lojas. Sem dar detalhes sobre prazos ou sobre como será a execução das obras, Kassab afirmou que nenhum dos ambulantes do local perderá seu ponto de venda. Todos já foram cadastrados pela prefeitura. A região da 25 de Março também ganhará um centro comercial. E o plano prevê a interligação dos centros populares de compras por meio de ônibus. O trajeto deverá passar ainda pelas regiões da Santa Ifigênia e do Bom Retiro (onde fica a Rua José Paulino).

De acordo com Ronaldo Camargo, secretário da Coordenação das Subprefeituras, ainda é preciso terminar as negociações com a União, que vai doar o terreno, para implantar o projeto. Ele afirmou, porém, que, a partir de agora, a administração municipal assumirá todas as despesas do local (R$ 1,2 milhão por mês). “A prefeitura assumiu a área até o fim do projeto, incluindo segurança, luz, faxina e outros serviços. Não haverá nenhuma cobrança dos comerciantes", afirmou. Kassab também se comprometeu a não impor nenhuma taxa aos ambulantes. “Esse é um compromisso pessoal, uma cruzada minha.” Segundo o prefeito, quem cobrar ou pagar qualquer valor será punido. “A obrigação do comerciante é denunciar, e ele também pode fazer isso anonimamente”.

O secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Marcos Cintra, disse que o projeto ainda está em fase de desenvolvimento arquitetônico. Em 60 dias, deve ser lançado um edital para escolher a empresa que terá a concessão do serviço. Só na primeira fase, que abrange a região do Pari, o investimento deverá ser de R$ 250 milhões.

Pirataria

De acordo com Kassab, o centro comercial permitirá uma fiscalização melhor contra a pirataria. “É uma forma de proteger também o consumidor”, afirmou. Ruas populares terão infraestrutura para compradores e lojistas e estacionamento Projeto inclui Bom Retiro, Santa Ifigênia, Sé e Brás

O projeto prevê Dois grandes centros de compras – Esses locais abrigarão os ambulantes no Brás e na 25 de Março.

Ônibus

Os veículos circularão entre as regiões de comércio popular e terão capacidade para transportar carga. O serviço será pago.

Estacionamentos

Deverão existir nas quatro regiões do projeto. No Brás, serão 502 vagas para ônibus e 1.545 para automóveis.

Infraestrutura para comerciantes e clientes

Haverá centros de apoio, motoristas e guias, além de hotéis-dia para quem vem a São Paulo fazer turismo de compras.

Prédios residenciais e escritórios

No Brás, o terreno será cedido pela União. Em contrapartida, a prefeitura construirá também sete prédios residenciais, com 280 apartamentos. Outras duas torres terão escritórios.

Serviços

Também no Brás, haverá diversos serviços, como postos do Poupatempo e dos Correios, postos da PM e agências de crédito e microcrédito.