terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Bolsa volta atenções ao mercado imobiliário


Fonte: InfoMoney

SÃO PAULO – A BM&F Bovespa tem se empenhado em estimular o investimento em produtos do chamado mercado imobiliário, tendo em vista a previsão de que ele chegue a representar até 11% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015, ante 4% atuais.

“A bolsa, desde 2009, tem se dedicado muito aos produtos do chamado mercado imobiliário, tanto é que construímos uma câmara consultiva com 22 pessoas, envolvendo inclusive governo, porque a gente acredita que esse mercado vai crescer muito no Brasil", afirmou o diretor de Desenvolvimento e Relações com Institucionais da BM&F Bovespa, Emílio Otranto.

Iniciativa

Otranto também é presidente do conselho do IGMI-C, o novo índice que foi lançado em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas), nesta sexta-feira (11), para medir a rentabilidade de imóveis comerciais. “A bolsa tem tomado todas as iniciativas necessárias para poder apoiar o crescimento deste mercado e não poderia ficar de fora desse lançamento do índice de rentabilidade do mercado”, disse Otranto.

O índice, de acordo com ele, é destinado aos investidores de forma geral, tanto brasileiros quanto estrangeiros, que passam a ter uma referência de rentabilidade de locação e rentabilidade do capital investido em imóveis comerciais no Brasil.

“Nós iniciamos com uma amostra de dez anos e agora, trimestralmente, ele vai ser divulgado com base no trimestre anterior. Ele vai atender todos os grandes investidores em ativos mobiliários ou valores mobiliários atrelados a ativos imobiliários, como fundo imobiliário, CRIs e outras operações estruturadas de securitização”, explicou.

No segundo semestre, no entanto, está previsto o lançamento do índice voltado para imóveis residenciais, que ainda não saiu do papel, porque sua apuração é mais complexa, tendo em vista que os contratos existentes no mercado não são padronizados, ao contrário do que acontece no segmento comercial.