segunda-feira, 4 de julho de 2011

Horta dentro de casa ou apartamento é opção de decoração e saúde


Fonte: diariodepernambuco.com.br


O prazer de plantar e colher o próprio alimento é um hábito cultivado por diversas pessoas em todo o mundo. Mas o que poderia estar restrito apenas a quem mora em casas amplas ou na zona rural também está acessível a apartamentos ou pequenos espaços. Especialistas na área de paisagismo apontam que é cada vez maior o número de pessoas que constrói uma pequena horta em algum cômodo da casa. E não é preciso grande investimento ou técnica para criar sua própria plantação.

Foi a solução encontrada pelo chef e proprietário de buffet Guilherme Diniz para ter a mão algumas ervas aromáticas na hora de preparar alguma receita para família. Para maximar o espaço disponível no apartamentos ele criou uma horta vertical, com pequenos vasos de manjericão, alecrim, orégano e três tipos de pimenta. A ideia agradou tanto que ele se interessou em cultivar outras plantas, com jardins verticais instalados na varanda, sala e área de serviço.

Dessa forma, convivem orquídeas, samambaias e outras espécies ornamentais com plantas próprias para o consumo. “Se você quiser ter um pouco de verde em casa, tem que usar o espaço disponível. O jardim vertical é uma forma moderna de aproveitar o ambiente reduzido”, afirma. O próprio Guilherme criou a estrutura de madeira, para combinar com a parede branca. “É uma diversão, um hobby. Tudo começou com essa finalidade de ter algumas ervas à mão e agora tenho diversas plantas pela casa”, comenta.

De acordo com a gestora ambiental Josiane Oliveira, da Biofert, é possível criar uma horta ou outro cultivo num pequeno espaço no apartamento. Mas é essencial que sejam observados três aspectos para que o cultivo dê certo: boa iluminação, água e adubação adequada. Os vasos devem ter no mínimo 20 cm de profundidade, mas caso seja possível instalar vasos maiores, melhor para as plantas. Largura e comprimento são livres para cada espaço.

“O ideal é ter no mínimo três horas de sol por dia. Caso não tenha iluminação direta é possível adequar um outro espaço. Além disso é preciso, regar todo dia e principalmente fazer uma adubação, já que as plantas não têm no vaso todos os nutrientes que poderiam encontrar no solo. Hoje em dia é possível encontrar fertilizantes universais, que servem para todas espécies, e até mesmo em spray, prontos para o uso, que facilitam a vida do usuário”, explica a especialista. Outra recomendação é que os fertilizantes tenham a informação de “atóxico” claramente exibida no rótulo.

A horta dentro de casa também pode ter função estética, da mesma forma que as plantas ornamentais. É o que aconselha a Kátia Matos, da Trópica paisagismo. Ela recomenda o uso de treliças de madeira, ferro ou outro material que combine com a decoração do ambiente. Outra opção é usar cacheopôs e uma estrutura mais alta, para que as plantas fiquem numa posição mais confortável para o cultivo. “Torna o hábito de plantar mais prazeroso. Até para que o cliente não desanime, já que a horta requer cuidados diários”, complementa.

Kátia Matos também recomenda algumas dicas para que a composição da horta fique bem agradável. O ideal é que as plantas sejam dispostas em tamanhos semelhantes, para que o canteiro não fique desproporcional. A inserção de algumas flores no meio e pimentas pode deixar o espaço ainda mais colorido.

Placas coloridas identificando as espécies tornam o canteiro mais divertido e também são educativas para as crianças. “A horta tem uma capacidade de proporcionar lembranças, seja da casa da vovó. É um resgate desses detalhes que ficam perdidos na correria do dia a dia e de fazer um cantinho interessante em casa, mesmo que seja pequeno”, ressalta.

O espaço reduzido não impediu que a dona-de-casa Madalena Pereira Marques cultivasse seus próprios alimentos. Acostumada a sempre possuir hortas em casa, levou o hábito mesmo após mudar para apartamento há dois anos. Madalena cultiva salsa, cebolinha e até mesmo dois pés-de-couve. “É importante ter um pouco de verde em casa; simboliza vida. Claro que uso para alimentação, mas cultivo mesmo é por gostar de planta, de vê-la crescer. Está no sangue”, afirma.

A ideia de ter alguma plantação em casa surgiu como opção de relaxamento para o delegado Marcelo Carvalho Ferreira. Contando com um espaço um pouco maior, o policial cultiva há cerca de quatro anos diversos tipos de pimentas na cobertura do apartamento. São mais de vinte vasos com variedades tipo malagueta, biquinho, carioca e cayenne entre outras.

“Para mim é como se fosse um hobby, por que se for olhar pelo lado econômico, vale mais a pena comprar as pimentas no mercado, pois tenho os custos de adubo, vasos, terra e dentre outros. Mas eu não trocaria, pois prefiro eu mesmo cultivá-las e ganhar tempo num momento de lazer”, afirma. Além do consumo, Carvalho produz conservas de pimenta para a família e também presentear amigos e quem se encanta com a plantação.

Ter uma horta em casa também oferece outras vantagens, fora o hobby e consumo de alimentos mais saudáveis. “Além do principal objetivo de consumir um produto saudável, com a certeza de não ter agrotóxico, também combate o desperdício. Normalmente as pessoas compram uma quantidade muito maior de hortigranjeiros e consumem apenas cerca de 30%, como no caso da salsa e cebolinha. Plantando em casa, você pode colher apenas o que é necessário para aquele dia”, refirma a gestora ambiental Josiane Oliveira.

Espécies e mais dicas

Dentre as espécies mais comuns e que dão certo para uma horta dentro de casa, estão a hortelã, cebolinha, salsinha, coentro, lavanda, pimentas, alface, capuchinha, tomilho, orégano e tomate cereja. Josiane recomenda que hortelã e manjericão sejam plantados em vasos separados, pois podem se espalhar e atingir as outras plantas.

Algumas espécies frutíferas, como jabuticaba, acerola, pitanga podem ser cultivadas em casa, mas requerem um vaso maior, que pode ser colocado numa área de serviço, por exemplo. “Morango fica muito bonito quando dá frutos! O senão das frutas é que é preciso esperar um longo período sem frutos, de acordo com cada espécie”, ensina Josiane.

A terra também é um fator importante para que a horta floresça. Uma boa ideia é substituir a terra pelo substrato vegetal orgânico. O material vem esterilizado e já possui nutrientes para que as plantas cresçam fortes. O substrato pode pode ser encontrado em floriculturas e casas agrícolas.