terça-feira, 29 de março de 2011

Novos Shoppings irão gerar 15 mil novas vagas de trabalho

Fonte: O Estado de São Paulo

A Região Metropolitana de São aulo vai ganhar oito novos shoppings centers até o final de 2012. Depois de prontos, os empreendimentos devem gerar, juntos, pelo menos 15 mil novos postos de trabalho, de acordo com estimativas da Associação Brasileira dos Lojistas de Shoppings (Alshop).

Além de três novos centros comerciais na capital paulista, serão abertos ainda dois em Barueri — um deles o Shopping Iguatemi de Alphaville (foto) –, dois em São Bernardo do Campo e um em São Caetano do Sul. Luís Augusto Ildefonso da Silva, diretor de Relações Institucionais da Alshop, afirma que o cálculo do número de postos de trabalho leva em conta a média de dez funcionários para cada uma das cerca de 1,5 mil novas unidades de lojas previstas para o conjunto de empreendimentos.

Segundo Silva, no total de vagas não estão considerados os postos que serão abertos nas chamadas âncoras, grandes lojas de departamentos, como Renner, Riachuelo e Tok&Stok. Para o diretor da Alshop, as medidas de restrição de crédito anunciadas pelo Banco Central em dezembro — como o aumento da quantidade de dinheiro que os bancos têm de entregar à instituição como forma de depósito compulsório — não esfriaram a economia. “Pensamos que o movimento fosse cair a partir de fevereiro, o que não ocorreu.”

Alexandre Dias, diretor de Marketing e Varejo da General Shopping Brasil, empresa responsável pelo Parque Shopping Barueri, com inauguração prevista para novembro, afirma que o novo empreendimento pode gerar entre 2,5 mil e 3 mil empregos diretos e a mesma quantidade de vagas indiretas, distribuídos pelas dez lojas âncora, entre as quais Renner e C&A, e os 150 estabelecimentos “satélites” — como são chamadas as lojas menores — e seus prestadores de serviços.

Segundo Dias, a primeira fase das contratações acontece entre maio e junho, quando são recrutados profissionais para limpeza e segurança. “O recrutamento para as lojas só começa depois de julho.”Ele sugere que os interessados em trabalhar procurem informações com as próprias lojas.

Dias lembra, ainda, que a população de cidades vizinhas, como Carapicuíba e Santana do Parnaíba, não terão mais de se deslocar para São Paulo quando necessitarem do comércio de shopping.

Empreendimento no ABC

A cidade de São Caetano também terá nova opção de compras, serviços e lazer a partir de novembro. O Park Shopping São Caetano reunirá moradia, trabalho e lazer em um novo bairro da cidade, que inclui um conjunto residencial.

Pedro Cortês, superintendente de incorporação da Multiplan, empresa responsável pelo shopping, afirma que o local terá 242 lojas, 15 das quais, âncoras. Segundo ele, o empreendimento foi motivado para que o público do ABC, em particular os consumidores de São Caetano, não precisem deslocar-se até São Paulo para ir a shopping. “Queremos que o dinheiro gerado na região fique na própria região”, afirma.

Cortês calcula que o shopping traga ao ABC cerca de 5 mil novos postos de trabalho, sendo 2 mil diretos e outros 3 mil indiretos. Ele conta que os processos de seleção são conduzidos pelas próprias lojas e só terão início três ou quatro meses antes da inauguração do novo shopping. Embora observe que as vagas não estão abertas no momento, Cortês diz que os interessados podem cadastrar seus currículos no site http://www.parkshoppingsaocaetano.com.br/. “O ABC tem um volume de demanda que ainda não foi atendida”, avalia. Na opinião da analista de sistemas Ana Carolina Matrone, 25 anos, o shopping poderá ajudar a melhorar o comércio da cidade. “Embora eu goste do que encontro hoje, um shopping só tem a acrescentar.”

O taxista Gilberto Cesar, 65 anos, acha que ganhará mais com a novidade. “A cidade vai receber mais gente, que pode vir de bairros paulistanos próximos da cidade, como Ipiranga e Vila Alpina.”

Para a aposentada Teresinha Ravelli, 64 anos, shopping “só é bom para passeio”. Apesar da opinião, ela acredita que um shopping pode trazer mais recursos à cidade e ajudar a aprimorar a prestação de serviços públicos.