quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Falta de espaço trava expansão e eleva metro quadrado em São Paulo


Fonte: Folha de São Paulo

A expansão imobiliária na cidade de São Paulo, destino de boa parte dos investimentos aplicados na capital paulista, está ameaçada pela falta de espaço.

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Marcos Cintra, a zona leste de São Paulo é a única região com alguma folga para expansão imobiliária nos próximos anos.

É a região escolhida para a construção do estádio do Corinthians, arena prometida para a abertura da Copa do Mundo, em 2014.

"Para a região norte, temos os limites da serra da Cantareira. Na região sul, há limitações ambientais.

Na oeste, não há mais espaços. A zona leste é a única, ainda, como alguma disponibilidade de área. É uma carência crônica a que vivemos", afirma Cintra.

Segundo Fábio Pina, assessor econômico da Fecomercio, esse problema tem inflacionado o custo do metro quadrado em São Paulo e promovido a expulsão da indústria.

O novo ciclo de investimento imobiliário tem transformado antigas áreas industriais, como a Vila Leopoldina, a Mooca e a Barra Funda, em espaços para projetos habitacionais e comerciais.

DEFICIT

Segundo Simone Santos, diretora de serviços corporativos da Herzog, uma das maiores imobiliárias do país, a cidade vive um deficit de novas ofertas para locação comercial.

O ritmo da economia local é tão forte que o percentual de imóveis desocupados é um dos menores dos últimos anos. Segundo Simone, atualmente o índice de vacância dos imóveis, comerciais e industriais, é de apenas 5%. "O nível normal seria o dobro", diz.

A situação começa a melhorar apenas em 2013, quando 600 mil metros quadrados serão ofertados no mercado.